Câmara de Dourados faz esclarecimentos após Operação Cifra Negra

06/12/2018 09h31 - Por: Assessoria

 
Daniela Hall, vereadores e setor jurídico durante a coletiva de imprensa (Foto: Filipe Prado) Daniela Hall, vereadores e setor jurídico durante a coletiva de imprensa (Foto: Filipe Prado)

A presidente da Câmara de Dourados, Daniela Hall (PSD), convocou coletiva de imprensa, na manhã desta quinta-feira (6), para esclarecimentos dos fatos ocorridos na tarde de ontem (5), desencadeados pela Operação Cifra Negra, deflagrada pelo MPE (Ministério Público Estadual).

Segundo a presidente, o MPE e a Polícia Civil convocaram a sua presença na tarde de ontem (5), após encerramento do expediente da Casa, por conta de cumprimento mandado de busca e apreensão no setor de licitação. Ainda solicitaram a presença da Mesa Diretora.

Sobre a operação, Daniela apontou que, até o momento, ela foi informada que os processos investigados são do ano de 2010 a 2016 e que tratam sobre licitação para empresas de tecnologia da informação, porém não foram encaminhados os autos do processo, que apontam a motivação das prisões.

Até a segunda ordem, conforme declaração da presidente, todas as atividades da Câmara de Dourados serão mantidas, como a eleição da nova Mesa Diretora. Na noite de hoje será realizada a 4ª sessão extraordinária de 2018, para a discussão e votação da LOA (Lei Orgânica Anual) e emendas anexas.

Daniela ressaltou que os suplentes ainda não foram convocados, já que um pedido de investigação precisa ser protocolado na Casa, para ser efetuada a investigação e possível cassação, ou que a Justiça expeça afastamento. "A Câmara disponibilizará todas as informações necessárias para colaborar com as investigações", assegurou.

Foram cumpridos mandados de prisão para os vereadores Pedro Pepa (DEM), Idenor Machado (PSDB) e Cirilo Ramão (MDB).