Agentes de saúde e endemias reivindicam melhores condições de trabalho e salário

07/02/2019 11h12 - Por: Assessoria

 
Profissionais foram recebidos na Câmara de Dourados e apresentaram situação atual da categoria (Foto: Thiago Morais) Profissionais foram recebidos na Câmara de Dourados e apresentaram situação atual da categoria (Foto: Thiago Morais)

Membros do Sindicato Regional do Agente Comunitário e Agentes de Endemias (Sindracse) participaram nesta quinta-feira (07) de uma reunião na Câmara de Dourados com os vereadores Alan Guedes (DEM) e Elias Ishy (PT), respectivamente, presidente da Casa e da Comissão de Saúde.

A presidenta do Sindicato, Silvia Salgueiro, alega que não há respostas oficiais da prefeitura sobre as demandas relacionadas às condições de trabalho e salário, ou seja, estruturais e financeiras da categoria. "Continuamos trabalhando, mas não há avanços. Temos o direito de exigir direitos", afirma ela.

Segundo os relatos, os agentes tem o menor piso salarial do Brasil e esta é a única categoria em Dourados que não teve reajuste desde 2014. Foi aprovada, recentemente, a Lei nº 13.708, já promulgada em Diário Oficial, em que passa a valer o novo piso, de R$ 1.014 para R$ 1.250, neste ano. E alertam ainda para a responsabilidade do município com os profissionais.

Isso porque os recursos para os pagamentos são repassados aos Municípios pelo Governo Federal, por meio do Ministério da Saúde e que a prefeitura pagaria apenas os encargos aos profissionais, como insalubridade, tempo de serviço e progressões (PCCR – Plano de Cargos, Carreiras e Remunerações).

Ishy tem acompanhado as demandas do grupo e lembra a importância da categoria, principalmente na reorganização da atenção básica de saúde, na prevenção e no controle das doenças. Guedes enfatizou que a Câmara está aberta ao diálogo, afirmando que este é um espaço democrático e, como encaminhamento, propôs a uma reunião com o secretário da pasta para dialogar sobre as reivindicações.