“Greve na educação comprometerá conclusão de ano letivo em 2018”, afirma Madson

 

O vereador Madson Valente (DEM) afirmou que a definição de greve por parte dos trabalhadores em Educação de Dourados irá promover sérios transtornos para sociedade douradense, pois a pauta de reivindicações da categoria inclui, além das reposições salariais, também as reposições dos dias de paralisação que ainda não foram programadas pela SEMED (Secretaria Municipal de Educação), o que na interpretação do vereador é extremamente preocupante.

"O município precisa equacionar esta situação, pois já há um enorme prejuízo aos nossos alunos pelas aulas que foram perdidas e não foram repostas, incluindo as pendentes. Com mais esta greve, podemos concluir que o ano letivo não se encerrará no ano vigente e somente no início de 2019, proporcionando sérios prejuízos aos pais de alunos, principalmente aos moradores da zona rural que estarão desprovidos do transporte escolar", considera Madson, que ainda alerta a prefeitura a não medir esforços, no sentido de buscar um entendimento para dar uma solução definitiva para esta questão que perdura desde o ano passado.

Madson considerou legítimas as manifestações dos educadores, visto que é um setor que vem sofrendo perdas. O vereador citou as alterações do PCCR (Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração) como exemplo. Também afirmou que os embates estão sendo constantes entre a categoria e o executivo municipal, por isso considera que a pauta mais importante de Dourados neste momento seja os rumos da Educação. "Afinal isto é uma prioridade", concluiu.

Madson afirma que a greve da educação gerará transtornos para o município